Login form protected by Login LockDown.


Entrevista com Darlene Zschech sobre o álbum “Here I Am Send Me”

Ninguém teve mais impacto na música contemporânea cristã do que Darlene Zschech. Na Hillsong Church, Darlene criou um som, criou uma cultura que viralizou e é lembrada como um legado que ainda prospera uma década após ela deixar seu posto de líder de louvor e adoração da igreja australiana. Embora seja mais conhecida como líder de adoração, compositora premiada, e uma cantora brilhante, o coração de Darlene para com Jesus – e as pessoas são o que mais cercam seu tesouro. Não é imune à luta e barreiras, humana como todos nós, Darlene lutou recentemente contra um câncer e continuou levando sua vida de adoração adiante e nos presenteou recentemente com sua nova gravação Here I Am Send Me. Prepare-se para ser inspirado!

[WM] Here I Am, Send Me é preenchido com excelentes músicas, lindas melodias, letras inspiradoras e a performance vocal com muito brilho. “You Are Great” é uma jóia do início ao fim, e a ponte parece um hino à parte. Quando você declara “estamos impressionados”, é realmente um momento especial na música. O que você sentiu quando escreveu este trecho?

DARLENE: Muitas pessoas passaram por desafios incríveis na vida. Em algum momento da nossa vida os momentos difíceis nos encontram, seja hoje – amanhã – ou depois. Para mim, foi o câncer. Não havia garantias. Eu tive um prognóstico muito desagradável. Mas através disso tudo acabei encontrando a presença e a pessoa de Jesus tão consistente, e assim “na minha cara”, tão completa. As pessoas me perguntam: “Você perdeu sua fé?” Mas não consigo pensar em nada além da verdade de onde eu estava. Não, eu encontrei outro nível de quem é meu Deus. No fundo, foi a primeira coisa que saiu: não importa o que aconteça, a Palavra de Deus é verdadeira; Ele é ótimo, e Ele deve ser louvado! Através do fogo, onde exatamente estamos indo. Deus estava tão perto de tudo, e o mínimo que eu poderia fazer era dizer: “Deus é Ótimo!”.

Martin Smith é tão profético. Eu sempre o vi como um tipo de “Rei Davi”. Ele tem essa coisa incrível, linda e complicada em sua vida. Eu estava realmente doente quando ele estava aqui para co-escrever comigo, e ele apenas me ajudou a dar voz ao que estava em meu coração. E foi assim como a música saiu.

[WM] O arranjo para “Here I Am, Send Me” cresce bloco após bloco ser colocado no lugar, realmente traz algo revigorante a cada nota e para o período de louvor é algo surpreendente quando você chega à ponte. Qual a mensagem e a história por trás dessa música?

DARLENE: O Espírito Santo me revelou coisas novas sobre esse primeiro momento de adoração na Bíblia. Em Gênesis 22, Deus chama Abraão, e a primeira resposta de Abraão é: “Sim, Senhor”. Pra mim, isso significa “tudo o que Você me pedir, antes mesmo de perguntar, minha resposta é: Sim!”. E então Deus diz a Abraão que tome seu único filho, e seguem essa experiência de adoração. Há um altar, há um coração diante do altar. E acho que encontramos muito naquela primeira experiência de adoração sobre como responder quando Deus nos chama. Nossa resposta natural é avaliar como isso afetará nosso estilo de vida, ou qual será a recompensa por esse pagamento, se há algum benefício escondido nessa ação. Precisamos aprender a dizer: “Sim, Senhor! Seja o que me perguntar, até antes disso acontecer, minha resposta é Sim! Porque Tu és um bom Deus, e eu posso confiar em Ti!”

Paul Baloche, Jenn Johnson e Darlene Zschech

[WM] “You Will Be Praised” foi co-escrita com Paul Baloche e Jenn Johnson. Como foi essa junção?

DARLENE: Acredito eu que foi antes da minha viagem ao exterior para fazer parte de um evento em que cantamos para o Papa na Praça de São Pedro. Eu estava passando alguns dias em Nashville e no caminho, e se não me falhe a memória “You Will Be Praised” foram as primeiras palavras que surgiram fora de casa. Eu estava com Paul Baloche e Jenn Johnson. Estávamos nos encontrando para almoçar e eu disse a ele: “Por que você não se junta a nós?” E nós tivemos o melhor momento apenas rindo e chorando, e veio “You Will Be Praised”. Eu tive uma ideia do que eu gostaria de fazer, e Paul e Jenn só me ajudaram a trazê-la à tona. Eu amo a ponte. Eu adoro o que diz e como ela chega lá. Nós já cantávamos esta música em nossa igreja há muito tempo, e realmente ajuda as pessoas a declarar e anunciar: “Minha alma, toda a minha alma, se orgulhará do Senhor!” E essa é a intenção da música.

[WM] Em seus sonhos mais loucos você imaginou que você estaria cantando para o Papa?

DARLENE: E cantando ao lado de Andrea Bocelli? Não! (risos). É tão engraçado. Eu me armei de um colete ‘à prova de balas’ para ir e fazer isso. No final, não importava, mas isso me deixou um pouco triste porque havia alguns cristãos que ficaram terrivelmente chocados e um tanto ameaçadores. Mas te conto o que vi durante a minha vida inteira, já tenho liderado a adoração há muito tempo. Não quero fazer mais nada. É o meu maior privilégio, tanto quanto o contexto musical foi. Mas eu vi, seja na Cidade do Vaticano, ou no Capitol Hill, ou em circunstâncias longínquas, onde eu cantei com guardas com rifles automáticos atrás de mim, como no Zimbabwe. Eu não entro nesses lugares para falar sobre a teologia das pessoas. Eu vou onde quer que eu seja convidada para exaltar a Cristo e levantar Seu nome. O que eu encontrei em todo o mundo é que toda vez que você faz isso, sim, haverá os odiadores e você vai encontrar pessoas que não entendem, mas eu tenho um comissionamento e um propósito muito refinado em meu coração de que Jesus trabalha em qualquer lugar que Ele é anunciado. Jesus funciona! Ele trabalha na pobreza e trabalha nos lugares mais abastados. Meu trabalho é anunciá-lo, e fazer com que as pessoas O vejam.

Então, cantar na Praça de São Pedro foi um privilégio louco. Durante os dias que antecederam o evento, ficamos em alguns hotéis muito modestos em Roma, com vários sacerdotes e alguns líderes judeus que vieram, juntamente com Andrea Bocelli e sua família. Louie Giglio também estava lá e, durante esses dois dias, comemos todas as refeições juntos, e nós conversamos por dias sobre o que o Espírito Santo estava fazendo. E isso provavelmente foi tão rico e bonito quanto a experiência real de liderar esse momento de adoração na Cidade do Vaticano. Havia todas essas pessoas bonitas no coro e na orquestra, jovens, apenas correndo para mim; Jovens cheios do Espírito correndo até mim dizendo: “Nós temos o fogo! Obrigado por vir! Tivemos fogo há anos, mas não sabíamos o que fazer!” Foi tão bom!

Sinto-me triste porque algumas das igrejas não poderiam chegar ao lugar que, mesmo que não entendessem o que eu estava fazendo lá, ainda podiam interceder por mim e acreditava que Deus iria fazer coisas incríveis, em vez de criticar e suas críticas foram bem pesadas e elaboradas.

Antes de partir para Roma, tive um pouco de tempo com Matt Maher, que todos nós amamos. E ele também me ajudou a entender sobre onde eu estava indo. A igreja em geral é tão bonita nas formas em que nos ajudamos a entender e crescer e orar.

Eu ainda me beliscava, pensando em ficar ao lado de Andrea! ‘Uau… isso é sério?’ Um ano atrás, os médicos me disseram que eu nem sequer poderia estar viva, e aqui estou um ano depois com minha bela peruca (risos), sentindo-me terrível com todas as drogas que estava tomando e continuo a tomar, e eu simplesmente senti Deus dizendo: “Eu tenho você”. E foi tão lindo.

Darlene Zschech e seu marido Mark.

[WM] Você foi pastora de adoração na Hillsong de 1997 a 2006. Quais são os ingredientes necessários para a criação da cultura que poderia suportar esse tipo de unção?

DARLENE: O pastor da Hillsong na Austrália, Brian Houston, é um líder excepcional. Você pode olhar a música e o culto e tudo isso, mas se trata de liderança, e Brian é um líder forte. Quando você olha para a Bethel e para o impacto que eles estão causando, você deve olhar para onde a fonte está fluindo, olhe para o topo com Bill Johnson. Ele é apenas um ser humano excepcional. O impacto que vem desses ministérios não é um acaso. Você não apenas decide trabalhar mais, mais rápido, maior e maior ano após ano. À medida que o impulso começa a acontecer, a grande liderança olha como as pessoas no ministério estão vivendo suas vidas e como seus filhos estão florescendo. Grande liderança faz perguntas como: “Eles estão recebendo tempo suficiente para escrever, e ainda tempo suficiente para viver e tempo suficiente para brincar e divertir-se, e tempo suficiente para estar na presença de Deus?” Um grande líder avalia essas coisas para garantir que o sucesso seja sustentado. Um grande líder analisa os saldos e as pessoas reais do ministério. Todo mundo olha para o fruto, mas um grande líder estará olhando as pessoas e preocupado em cuidar das pessoas enquanto se pergunta: “Isso é sustentável?” Sem os bons cheques e contrapesos, não é!

Volte para o topo desses ministérios com impacto e você verá alguns dos maiores líderes. Elevation Church é outro exemplo. Olhe para Steven e Holly Furtick; Eles são incríveis! Olhe o que a The Belonging Company está fazendo agora com a liberação de todas essas coisas bonitas, e você olha para o topo e vê Henry e Alex Seeley se misturando e amando essas pessoas. Eles adoram a presença de Deus, e eles realmente amam essas pessoas, como pastores e líderes.

Muitas pessoas querem o que vêem, mas provavelmente não têm a capacidade de fazer o que vem do topo desses ministérios. Na Hillsong, damos muito crédito a Brian porque ele é um líder excepcional. Então, é só uma coisa.

Outra coisa que é realmente importante é ter um ensino consistente para suas equipes. Semana após semana na Hillsong, ano após ano, (e eu faço isso agora com as equipes da Hope Unlimited), ensinamos sobre a teologia do culto. Nós cavamos no sentido do culto, como: “O que esses salmos significam mesmo? O que eu realmente canto? Compreendo o que é a intercessão? Ou uma guerra espiritual? Ou intimidade com Deus?” Queremos que as pessoas compreendam por que eles estão lá nas equipes. Muitas pessoas ficam presas no jogo das músicas, mas eles realmente entendem por que a adoração é tão importante? Eles realmente entendem por que sua vida invisível e sua vida vista devem ser consistentes e como isso causará problemas em seu ministério se eles estiverem seguindo dois caminhos diferentes? Assim, o ensino dentro das equipes são tão importantes para as pessoas entenderem por que é que fazem o que fazem.

Além disso, amar a pessoa mais do que os seus presentes é outra chave. Quando as pessoas sabem que são amadas e valorizadas, você obtém resultados de longo prazo muito maiores para a sua vida. No final, todos queremos saber se estamos perdendo algo na mesa de jantar, perdemos! As pessoas não são apenas ‘commodities’ substituíveis. Esse baterista em sua equipe não é apenas um baterista, ele ou ela é uma pessoa. Vamos pastorear essas pessoas que estão apenas fazendo o seu melhor. Temos de avisá-los de que eles são mais valiosos pelo que são do que pelo que podem oferecer.

[WM] Mais do que simplesmente ser uma líder de adoração ou compositora, você construiu um legado de pessoas cujas vidas você semeou e levantou. Você pode oferecer alguns conselhos específicos para pastores de adoração que não são naturalmente dotados para levantar pessoas?

DARLENE: Eu serei super honesta. Como pastora de adoração, você deve lembrar que não é sobre você. Fiquei sempre surpresa por ter sido a líder da equipe e liderar o culto. Eu continuava esperando que alguém descobrisse que eu não era boa nisso. Eu sempre senti como: “O que diabos eu estou fazendo aqui?” Mas quando você olha para a Bíblia, está cheia de grandes pessoas que tiveram o mesmo sentimento e pensamento que eu tive. Davi disse: “Quem sou eu?” Moisés era o líder que gaguejava e foi relutante ao seu chamado. E continua com diversos exemplos de pessoas que não acreditavam que Deus as usasse para liderar as pessoas. Eu acho que há uma medida dessa atitude que realmente boa para os pastores de adoração, porque nos mantêm de joelhos, e nos mantêm famintos pelas coisas de Deus e reconhecendo que, sem Ele, tudo soa como barulhos e sem atividades que gerem transformação espiritual.

Se você não se sentir qualificado, mas você se encontrou nessa posição, eu diria que você está entre uma grande companhia e entre pessoas de Deus realmente boas da Bíblia que se encontraram no mesmo lugar e se sentindo do mesmo jeito que você.

Eu também diria que você precisa ser uma pessoa segura. O que quero dizer com isso é que você precisa ser capaz de fazer com que o seu trabalho aumente cada vez mais e assim liberar; para sair do caminho e levantar e liberar. Depois de cometer alguns erros no início, percebi que eu tinha que colocar as pessoas em situações em que elas estavam fazendo as coisas pela primeira vez e em ambientes onde, basicamente, elas não poderiam falhar. Como criar um novo líder de adoração, mas sempre tem alguém forte ao lado deles, e uma grande banda ao seu redor, as pessoas podem seguir qualquer coisa. Trata-se de colocar as pessoas para ganhar em todos os níveis. Com pessoas de tecnologia e produção, coloque-as ao lado de outras pessoas que saibam o que estão fazendo. Não configure as pessoas para falhar. Você deve aproveitar o tempo para criar as pessoas para ganhar.

Muitas vezes, as primeiras pessoas se aproximam de uma coisa nova na frente de muitas pessoas. E se eles falharem, muitas pessoas não têm a capacidade de simplesmente dizer: “Bem, eu vou dar uma outra tentativa”. Nem muitas pessoas criativas vão fazer isso. As pessoas criativas sentem as coisas profundamente, e então, quando cometem um erro em público, sentem a dor tão profundamente. E muitas vezes é apenas uma coisa musical simples que colocam as pessoas para fora do jogo. Não porque outra pessoa foi lá e a espancou, mas porque eles se derrubaram. Então… colocam as pessoas para ganhar! Dê-lhes vitórias! Ajude a construir sua tenacidade no Espírito.

E liderar pelo exemplo. Muitas vezes digo às pessoas na minha equipe: “Apenas observe o que estou fazendo. Eu nem sei explicar algumas coisas, então apenas veja o que estou fazendo.” Como quando você aparece em uma música livre e, de repente, você tem esses jovens e belos líderes de adoração com o fogo de Deus neles, mas você pode ver que eles estão um pouco nervosos. Você pode vê-los assistindo e ouvindo e observando como você está liderando a banda. Dê-lhes esse exemplo e levante-os e libere-os para fazer o mesmo que você. Configure-os para ganhar!

[WM] Você tem uma voz incrível! O que você faz para mantê-la e desenvolvê-lo?

DARLENE: Quanto mais velha eu vou ficando, mais eu tenho que exercitar a minha voz. Não é ciência de foguetes. Eu faço aquecimento, e desaqueço a voz. Tenho que ficar em forma, o que foi mais difícil após a quimioterapia. Minha voz sofreu um pouco após a quimioterapia. Costumava cantar durante horas e horas, e eu fiz isso durante ano após ano, mas agora não tenho essa resistência toda. Minha voz é um presente, e eu tenho que tratá-lo como tal.

Para as mulheres, à medida que envelhecem, o lance está em seu vibrato. Você perde força e tom vocal. Então eu tenho que trabalhar duro nisso e usar todos os exercícios básicos. Provavelmente são mais importantes agora do que nunca. Não há atalho para ser ótima em algo. Você deve trabalhar pra isso. As pessoas não gostam dessa palavra, mas você tem que fazer o trabalho.

[WM] Você soa incrível neste novo álbum! Sua voz brilha sobre as pontes, e algumas notas são muito surpreendentes!

DARLENE: Obrigada! Para ser sincera, senti como se eu estivesse deixado o projeto cair um pouco neste quesito. Mas no final, não é sobre o meu desempenho vocal. Eu fiz o meu melhor, e é tudo o que eu posso oferecer e fazer. E às vezes eu estava um pouco frustrado com isso. Mas Aleluia! Louvo a Deus! É sobre a Sua glória e não a minha voz! Nós apenas fazemos o nosso melhor para Ele. Estou feliz com todas as músicas e realmente feliz com a história e a jornada. É muito intencional no álbum, de onde começamos e onde acabamos com “Here I Am, Send Me” e “Go”. Eu acho que é mais intencional do que nunca, e estou muito feliz com isso.

[WM] De muitas maneiras, a adoração gratuita é essa antítese de elementos de arranjos tradicionais como palavras, melodias, dinâmicas e forma. Como você prepara as pessoas para entrar nisso e responder ao Espírito Santo ao mesmo momento?

DARLENE: Eu vejo a música como um veículo desses momentos. Eu acho que a liberdade é o ponto. Aquele que o Filho de Deus libertou é livre! A liberdade é o que anunciamos para as pessoas. Estamos declarando a liberdade que temos em Cristo.

Parte do meu papel na adoração é continuar a dizer às pessoas: “Nós lhe damos uma música para ajudar a expressar o que está em seu coração. Agora que você se sente um pouco mais seguro em cantar… cante sua própria música! O que você quer dizer que não posso dizer por você? Eu não posso adorar por você. Posso fornecer um veículo, e posso declarar Sua Palavra, mas não posso adorar por você. Só você pode fazer isso por você. Essas músicas irão ajudá-lo a adorar, pela graça de Deus. Elas ajudarão a liberar o que está em seu coração. Mas há uma música que só você pode cantar, e só você pode declarar. “Eu amo que nós levamos as pessoas a esse lugar!

Há um momento no final de “Beloved” que é tão poderoso. Há uma linha que diz: “À medida que o seu Espírito derrama…” e então, apenas damos um passo atrás e vemos aonde vai. Você ouve as pessoas começarem a amar a Deus enquanto cantam. E não se trata de estar em sintonia. Adoração nunca foi sobre tudo isso. A adoração é quando você vê o coração humano responder à grandeza de Deus. A música ajuda, mas não é o tudo. Eu acho que haverá mais disso. À medida que os dias da glória de Deus se tornam mais brilhantes, e à medida que a terra se torna cada vez mais escura e, à medida que o Reino de Deus esteja avançando, haverá mais desses momentos em que menos esperamos.

Equipe de adoração, prepare-se para isso. Não tenha medo disso. Não é assustador. Não é estranho. À medida que você conduz as pessoas a um lugar e depois as libera para onde elas possam cantar sua própria música para Deus, acho que esse é um dos mais altos elogios para um líder de adoração. Porque agora você está em seu próprio caminho e se torna sobre você como pessoa e Deus. E o quão bonito é isso?

Entrevista extraída e traduzida do site worshipmusician.com.