Login form protected by Login LockDown.


Ygor Siqueira é um dos nomes mais fortes do cinema cristão no Brasil e no exterior. Ex-diretor executivo da Graça Filmes, empresa que ajudou a lançar em março de 2010, Ygor reuniu o maior catálogo de filmes cristãos do Brasil como As Histórias de Jonathan Sperry, A Diretoria, Johnny – Todos Têm Uma Missão Especial, O Caminho para a Eternidade e Amor Incondicional. Ele também coproduziu dois longas metragens no exterior, sendo assim pioneiro ao lançar com êxito três filmes nas telonas do país – Três Histórias, Um Destino, Questão de Escolha e Deus não está Morto – somando mais 600 mil espectadores, consequentemente, tornando-se referência para o cinema cristão nacional e internacional.

ygor_divulgacao1

Trabalhando desde os 15 anos de idade, Ygor Siqueira mudou-se para os Estados Unidos, onde morou por 12 anos. No ano de 2000, começou trabalhar no mercado latino americano, onde se dedicou ao ministério de jovens e cooperou com o crescimento da empresa colombiana “G12 Editores” no país.

Visando expandir ainda mais a indústria cinematográfica cristã, Ygor se prepara para uma nova etapa na carreira profissional após cinco anos à frente da Graça Filmes e acredita que o cinema cristão nacional ainda precisa se especializar trazendo bons roteiros e produções qualificadas. “Estou muito satisfeito e grato a Deus pela oportunidade de ter desenvolvido a Graça Filmes do zero e, após cinco anos, se tornar referência no país e fora. Obtivemos resultados sobrenaturais com projetos audaciosos e, principalmente, com resultados satisfatórios. Difícil dizer se a minha saída irá ou não refletir no mercado. Daqui a dois anos teremos essa resposta”. Confira um bate papo que tivemos com o Ygor.

CASAGOSPEL: Sua paixão por filmes e cinema como se deu?

YGOR: A minha verdadeira paixão é ver as pessoas recebendo a mensagem de Cristo e tendo suas vidas transformadas. Nunca pensei em trabalhar no meio cinematográfico, as coisas aconteceram naturalmente e vejo que Deus me escolheu para fazer parte desse crescimento. Hoje, não trocaria o cinema cristão por qualquer outro segmento, amo trabalhar com filmes e viver a arte de tirar uma ideia do papel e projetá-la nas telonas.

 

CASAGOSPEL: Como foi trabalhar com o meio cinematográfico americano? Principalmente para trazer filmes pela Graça Filmes?

YGOR: Nada fácil. Quando iniciei os trabalhos da GFilmes, o foco de distribuição de filmes cristão no país era limitado e os produtores não davam a devida atenção para nosso mercado. Depois de seis anos, posso afirmar com tranquilidade que o Brasil é o segundo mercado a ser explorado.

 

CASAGOSPEL: “Deus não está Morto” foi um marco para o cinema cristão e acredito também para a sua carreira como gestor. Como foi trabalhar um filme que já havia sido lançado no mercado internacional, e que a Netflix tinha liberado o filme também, somente depois fora lançado nas salas de cinema do pais?

YGOR: Dependência de Deus! Quando recebi de um amigo a foto da tela de sua TV, mostrando que o “DNEM” estava disponível para assistir na Netflix, foi um golpe muito duro. A equipe (GFilmes) trabalhou com muita dedicação e carinho durante 120 dias no projeto, sonhando em ver o filme nas telonas e recebemos essa notícia. Eu estava em meu escritório, faltavam 15 dias para a grande estreia e me encontrei na situação de depender única e exclusivamente de Deus. Nesse período de 15 dias, fiz tudo que pude para retirar o filme da Netflix e do NOW, mas não foi possível. Me lembro de ter pensado: “E agora, o que devo fazer? Todo dinheiro investido, tudo feito, de 100 salas ficamos com 60 marcações e poucas sessões”. Então, resolvi levantar a bandeira e ir adiante. Toda equipe entrou no mesmo espírito, mudamos a estratégia de divulgação na reta final, o corpo de Cristo entrou na batalha e, com mais de 290 mil espectadores, “DNEM” se posicionou entre os dez mais vistos do país. A necessidade de levar o máximo de público no primeiro final de semana para o filme continuar em cartaz é torturante, mas vimos a mão de Deus.

 

CASAGOPEL: No Brasil, encontramos diversos desafios no mercado fonográfico, uma delas são os contratos de gravadora com seus artistas que os impendem muitas vezes de participar de projetos de outras empresas. Levando isso para o mercado de Trilhas Sonoras que em qualquer mercado rende boas marcas de venda, o que acontece no gospel nacional que não é explorado em sua totalidade?

YGOR: A verdade é que o mercado nacional de filmes está no início, não há filmes suficientes para que seja explorado. Os filmes “Três Histórias, Um Destino” e “Deus não está morto”, ambos lançados nos cinemas, tiveram suas trilhas comercializadas no mercado gospel. Na medida que o cinema cristão cresce, outros produtos acompanharão essas produções.

 

CASAGOPEL: Na sua visão e expertise, como está o mercado cinematográfico cristão no mundo, e principalmente no Brasil?

YGOR: Dos 100 filmes cristãos lançados nos cinemas americanos, 30% deles, foram lançados nos últimos cinco anos, e a tendência é crescer a cada ano. No cenário nacional, vejo como muitas produtoras estão trabalhando e, na maioria dos casos, são produções de baixo orçamento, o que prejudica o resultado final. Porém, há produtoras que estão procurando as leis de incentivo, unindo forças com profissionais do mercado que são cristãos e querem participar do crescimento do cinema cristão no Brasil. Eu tenho certeza que haverá uma mudança expressiva nos próximos cinco anos e veremos boas produções e lançamentos na sala de cinemas cada vez mais.

 

CASAGOSPEL: Qual a sensação que você tem de ver filmes cristãos sendo incluídos em salas de cinema por todo o país?

YGOR: Muito feliz e grato a Deus pela oportunidade de ter feito parte do início de tudo. O meu sonho e meta, é distribuir um filme a cada dois meses nos cinemas.

 

CASAGOSPEL: Qual o maior empecilho pra que este mercado cresça no Brasil?

YGOR: Nós mesmos! O Brasil oferece leis que possibilitam produções de qualidade, mas depende de cada um de nós, desde nos qualificar profissionalmente e conhecer essas leis. A igreja precisa apoiar essas produções, fazer parte dos projetos, comprar DVDs e ir aos cinemas quando forem lançados. O cinema é um “brinquedo” caro, porém, é uma das ferramentas mais poderosa de evangelismo.

 

CASAGOSPEL: Qual seu maior legado deixado na Graça Filmes?

YGOR: Difícil dizer, mas deixei na Graça um arsenal de ferramentas e conquistas que colaboraram para esse crescimento que temos visto. A GFilmes em cinco anos, se tornou a principal distribuidora de filmes cristãos do país, produziu dois longas e levou mais de 600 mil espectadores aos cinemas nos três lançamentos que distribuiu.  Só há uma resposta para tudo isso em apenas cinco anos: Deus é surpreendente.

 

CASAGOSPEL: Deixe uma mensagem aos internautas e uma dica do que vem por aí.

YGOR: Quero agradecer a toda equipe do “CasaGospel” pela oportunidade de compartilhar sobre cinema cristão. Aos que desejam trabalhar com cinema, saiba que se Deus colocou esse sonho em seu coração, busque a forma de realizá-lo, buscando conhecimento, fazendo bons contatos e trabalhando muito. Se for um chamado de Deus para sua vida, você não vai parar até ver esse sonho conquistado. Estou muito animado com “o que vem por aí”, acredito que faremos mais coisas pelos próximos dois anos, do que fizemos nos últimos cinco anos no segmento cinematográfico. É necessário que oremos para que portas sejam abertas e saibamos aproveitá-las de forma eficaz.

ygor_divulgacao2

Queremos agradecer ao Ygor pela entrevista concedida ao portal, e também à jornalista Monique Jales, assessora de imprensa e sócia na Purim Comunicação pela prontidão em nos atender.